segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Com tradições...


...ou contradições? Representam muitos interesses? São poderosos? São imprecindiveis á sobrevivência do Clube? Tem sido uteis ao desenvolvimento e engrandecimento do SCP? Podem ser retirados do poder? A resposta é apenas uma: basta que os sócios queiram!
O problema da direcção do SCPortugal é que podem enganar muita gente durante algum tempo, nunca conseguirão enganar toda a gente durante todo o tempo.
As mentiras tem perna curta e só passam para quem não tem memória ou voluntariamente opta por se deixar enganar.
O Luta & Resiste temos memória e tentamos não nos deixar levar, assim:

1.Soares Franco fez um comunicação á imprensa, pretendendo o mesmo ser um ultimato á CMLisboa, em que referia que se demitia se não conseguisse baixar o passivo abaixo dos 200 milhões de euros.

2.Sabendo que, actualmente, o passivo da SAD se situa nos 67 milhões de euros e do Clube nos 220 milhões, vivem-se momentos de espera angustiante, esperando-se a demissão de Soares Franco a qualquer momento.

3.A venda de Nani ao Munited foi anunciada como tendo sido na ordem dos 25,5 milhões de Euros, valor tão elevado que chegou, inclusive a provocar uma subida surpreendente das acções da SAD.

4.Através do relatório da Agência Financeira, ficámos a saber que, afinal não foram 25,5 mas sim 24,4 milhões de euros resultantes da venda de Nani ao Manchester. E que a afinal foi a totalidade dos passes alienados é que se aproximou dessa quantia, cerca de 25,4 milhões de euros.

5.Preocupante constatar estas diferenças entre os valores anunciados e os efectivamente declarados nas contas, levando-nos a pensar que tal como no caso JVPinto ou Isaltino, poderá por aí haver dinheiro abandonado numa qualquer conta de um anónimo sobrinho taxista luxamburgês, em que se houver uma investigação a sério acaba por não ser de nínguem. Tudo isto com o SCP mergulhado numa dura crise financeira.

6.Meireles em entrevista ao Record de 14/12/2007, á pergunta "R-O passivo manten-se nos mesmos níveis de antes?", respondeu pragmaticamente RM- "O património foi vendido por cerca de 51 milhões de euros. Filipe Soares Franco, quando tomou o poder, disse que tinha um défice de tesouraria de 16 milhões de euros e que havia a necessidade de vender património para cobrir esse défice de tesouraria e para abater no passivo. Vendeu-se por 51, dos quais 16 foram para cobrar o tal défice de tesouraria e para abater no passivo. Vendeu-se por 51 dos quais 16 foram para cobrir o tal defice da gestão de Dias de Cunha, mas o restante não foi para amortizar passivo.
R-Sabe para onde foi? RM-Quando não se amortiza passivo, o dinheiro ou está em aplicações financeiras ou foi consumido.
R-Há forma de alterar esse estado de coisas? Até porque entraram 25 milhões da venda de Nani... Rm-Vendeu-se o património, realizou-se a venda do Nani e, pela informação que circula, continuam a subsistir dificuldades financeiras de tesouraria."

7.Após esta incisiva entrevista de Meireles, Soares Franco contra-atacou e referiu que dos 48 milhões de euros líquidos resultantes da venda do património, 28,5 foram para abater passivo, 16 para cobrir o défice de tesouraria e 2 para compromissos inadiáveis com fornecedores.

8.O que nos conduz a mais contradições então quanto é que efectivamente rendeu a venda do património não desportivo do SCP? Foram 51.2 milhões? 50.5 milhões ou afinal os tais 48 milhões?

9.A nota preocupante surgiu na parte final dessa entrevista em que Franco lembra "o espírito de missão para levar o seu mandato até final, algo que nada nem nínguem conseguirá abalar!" os outros pontos fortes da entrevista foram o lançamento da sua recandidatura; a escolha das modalidades em que o Sporting quer ser especialista; a não cedência na questão dos terrenos e a constatação que o passivo do Clube afinal se encontra nos 230 milhões.

10.A inovação do ecletismo selectivo? a diferença entre 220 milhões e 230 milhões são 10 milhões de euros, em moeda antiga 2 milhões de contos. Sabendo que tanto as fontes do DN aludidas no ponto 2 como o presidente Franco fazem parte da estrutura organizativa do Clube, não se consegue perceber esta divergência de valores. Não parece de Clube altamente profissionalizado com uma gestão com rumo, antes aparenta um constrangedor amadorismo com continhas de merceeiro.
Recandidatura? Mas ainda há mais alguma coisa para sacar?

No caso desta direcção como outras desde 1995 são contradições já com tradições no nosso SCPortugal!

1906

Luta & Resiste!

1 comentário:

JM disse...

Excelente post e perguntas. De minha parte, não tenho nenhuma confiança nenhuma nesta direcção, e vou ainda este Natal dedicar-me a estudar os relatórios e contas da SAD. Coisa que só não fiz antes por falta de tempo...

Nas próximas assembleias gerais (clube e SAD), estarei seguramente presente.