terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O grande artista!!!


Deslocação a Sófia


Aniversário do Clube


Enquanto o presidente se afadiga em numeros circenses de forma a continuar a enganar os 90% de parvos que nele votaram, e que acham AGORA que a culpa toda, é do director desportivo e do rapaz sem sobrancelhas que contrataram como treinador, o declínio do Clube prosegue a ritmo cada vez mais veloz....

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Porque hoje é dia 3 de Novembro de 2010...

Vamos dar uma vista de olhos pelas publicações do dia 3 de Novembro de 2010:


Godinho Lucra 13 milhões com fraudes
Ministra da Educação lança caos nas escolas
Subida de juros castiga os políticos
Águias entre o ceu e o purgatório
Portugueses culpam governo
Bombas explodem em Atenas
Mulher burlada ao telemóvel
Oliveira processa o filho
E uma gaja que teve embrulhada com o Pinto da Costa
Curiosamente a frase do dia para o CM é:
“O FMI não dá nada a ninguém, nem ajuda ninguém”
Ricardo Salgado, Presidente do Banco Espírito Santo
Presente na Bilderberg


Vitória do Benfica teve 15 min de pesadelo
A moda dos bailes está de volta
Quatro bancos privados lucraram 4,1 milhões/dia
Pais obrigados a pagar auxiliares nas escolas
Ana Paula Vitorino forçada a recuar na acusação a Mario Lino
75% de coroneis a mais no topo da hierarquia militar
Sócrates ignora acordo com PSD e avança com TGV


Apedrejamento - Teerão terá dado ordem para executar Ashtiani
TGV ameaça abrir primeira brecha no acordo entre Governo e PSD
Cimeira da NATO - blindados da PSPnão vão chegar a tempo
Ministério da Educação esvazia caso da restituição de dinheiro
Ferrostaal admite repor 4,8 milhões
REN afasta 3 quadros superiores
Benfica ganha mas estragou no fim jogo quase perfeito
A notícia do dia em destaque é que Horta Ósorio foi nomeado presidente do Loyds Bank, curiosamente membro Bilderberg


Pai armado leva filho recém-nascido do hospital
Chineses rendidos aos pasteis de nata
Banca teve lucros de 4 milhões dia
Assaltantes do Museu do Ouro condenados a 18 anos
Goleada mínima do Benfica
Clássico obriga PSP a apertar segurança
Buraco nas contas públicas afinal pode ser inferior ao previsto
Família recebe sumo, bolachas e creme de avelãs da Misericordia
Justiça perde 4 anos a decidir destino de casaco velho
Pacotes-bomba na Grécia
e uma bombeira agredida em Évora


Lady Gaga a sociologia da diva pop
Portugal estilhaçado -Desemprego, apoios sociais no mínimo, empresas a reduzir salários, mercados ignoram orçamento e juros da dívida voltam a disparar...
Face Oculta
Caso Maddie
Terrorismo na Grécia
Benfica que ganhou bem, mas acabou mal

Conclusão:

Caos na educação e na justiça
Desiquilibrios sociais marcantes ex: lucros da banca versus pacotes de bolachas e sumos atribuidos pela Misericordia!
Ameaças de terrorismo e crimes hediondos
E claro um bocadinho de circo com o benfica, os bailes, os socialites e os pasteis de nata...

E se estiverem atentos esta é a cartilha diária a ser cumprida pela nossa comunicação social. Os objectivos são claros:

=> Os governantes são todos uns incompetentes e corruptos venha o FMI ou anexem-nos a espanha!

=> Com o terrorismo e os crimes, alimenta-se a ideia de permanente insegurança, e que só com ajuda do exterior podemos ter paz nesta terra!

=> O resto não dá grande moca mas serve para distrair a existência dos trucidados pela máquina da propaganda!

Nota: Obviamente que ajuda ter tanto benfiquista, garante que grande parte da carneirização é bem sucedida!

1906

Luta & Resiste

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Um olhar macro sobre a actualidade II


E na continuação da ultima publicação continuamos na analise do nosso contexto nacional.

Portugal foi alvo de algumas experiências sociais no pós 25 de Abril, para os mais jovens ou mais desmomoriados lembramos a influência que tiveram Kissinger ou Carlucci na sabotagem da revolução de abril, que ao agitarem o espectro do comunismo (um bocado á maneira que no próprio Sporting sempre que alguem que não é da linhagem vai a votos é levantada a caraça do Jorge Gonçalves) evitaram a implantação de estado mais justo e com mais oportunidades para todos.

Kissinger e Carlucci são actualmente rostos de uma elite financeira que pretende subjugar o mundo ás suas ideias, tambem conhecidos por Clube Bilderberg.

Em relação a esta nova ordem que tenta ser implementada, utilizou literalmente Portugal para algumas experiências sociais, ou será por mero acaso que desde a revolução de 1974 ter havido apenas 2 partidos principais a partilhar o poder alternadamente, com excepção claro para algumas coligações?

Nada acontece por acaso, nem é por acaso que quer esteja um partido ou outro no poder, não existem mudanças significativas quer nas politicas quer nas soluções preconizadas, antes parecendo um partido a continuação do outro!

O poder está nas segundas linhas, quem é eleito até pode vir cheio de boas intenções mas é completamente entropiado na acção quando tenta fazer qualquer coisa na práctica! Existe uma agenda que é necessário cumprir, existe desinformação que é necessária manter.

E será que isto acontece por acaso?

Neste jogo não existe espaço para coincidências...

Analisando a lista de participantes da reunião de Bilderberg em 2004, verificamos que Pinto Balsemão que tem assento permanente nas reuniões Bilderberg escolheu para estarem presentes em Stressa -Itália em 2004, o na altura presidente da CMLisboa Santana Lopes e o deputado pelo PS José Sócrates bem como José Vitorino.

Será que foi por mero acaso que na sequência desta sessão ocorreram os seguintes acontecimentos por esta ordem:

1)Pedro M. Santana Lopes (Ex-presidente do Sporting), presidente da CML, foi subitamente nomeado Primeiro-Ministro pelo Presidente da República.

2)José M. Durão Barroso, anterior Primeiro-Ministro, foi nomeado Presidente da comissão Europeia.

3)José Sócrates, deputado, foi eleito líder do Partido Socialista, depois de Eduardo Ferro Rodrigues se demitir a 25 de Maiode 2003, numa crise social e politica decorrente de uma investigação policial, que comportava 15 casos e que alegadamente o implicava, de abuso sexual de menores em orfanatos do estado entre 1999 e 2000.
José Sócrates tornou-se Primeiro Ministro de Portugal em 2005.

Estas experiências sociais que são levadas a cabo no nosso País contribuiram para cimentar a ideia de total descrédito da classe política!

Obviamente não fomos os únicos, existem mais cobaias sociais, como por exemplo a Turquia!

Quatro dias paós 2 participantes turcos- Gazi Ercel, Governador do Banco da Turquia, e Emre Gonensay, Ministro dos negócios Estrangeiros- voltarem a casa saídos da reinião de Bilderberg de 1996 em King City, o governo turco caiu.

Num passo surprendente, Mesut Yilmaz, Primeiro-Ministro turco, demitiu-se abruptamente. A sua demissão dissolveu o governo de coligação criado entre o Partido Caminho da Verdade, liderado pelo ex-Primeiro-Ministro conservador Tansue Çille, e o seu Partido da Mãe Pátria, centrista.

A demissão de Ylmaz abriu caminho par Necmetin Erbakan, chefe do Partido da Prosperidade, pró-islâmico, formar o próximo governo turco. Esta mudança permitiu aos Bilderberg uma oportunidade para projectarem a influência islâmica na parte mais vulnerável da Europa cristã, criando assim tensões étnicas e desatabilizando a região.

Carissimos a população Portuguesa antes conhecida pela sua bravura e resiliência, está cansada e agora distrai-se a pagar contas, e com a azáfama das importações americanas como são os dias dos namorados, das bruxas, etc, que mais não são do que apelos coloridos ao consumo!

Continuem meus caros a ter a ilusão de são vocês que agora podem pôr e dispôr através do voto...

Mas podemos ver pelo exemplo do futebol em que uma figura simpática mas sem qualquer ideia seja sobre o que for, recebeu uma votação estrandosa e massiva de 90%, devido á propaganda utilizada, como foi o caso do actual Presidente do Sporting, imaginem quando as coisas começam a ser mais a sério e a ter mais dinheiro envolvido, alguem vai vacilar?

A unica solução para contrariar este estado calamitoso seria a formaçãode u´ma opinião pública mais formada e informada, de maneira a que pensasse pela sua própria cabeça e não se deixasse arrastar por fazedores de opinião!

Mas isso claro já seria pedir de mais quer do povo quer de quem nos governa, que para a resolução de qualquer crise foi sempre establecida a solução padrão: mais betão!!!

O povo e os governantes gostam de ver as estradas, a construção desenfreada, e agora nestes ultimos anos de crise mais encapotada, as rotundas, os laguinhos, as estátuas!

A sensação de obra feita e dever cumprido!
Á custa de quem? Á custa do quê?
Adivinharam!!!

Texto efectuado com base no livro "Toda a verdade sobre o Clube Bilderberg- Autor Daniel Estulin"




1906

Luta & Resiste!

Um olhar macro sobre a actualidade


Hoje vamos escapar aos temas normalmente abordados neste espaço e vamos fazer uma analise macro sobre a actualidade politica em Portugal e no mundo e tentar perceber como são as relações de forças politicas actualmente em jogo!

Nunca tanto como nos dias de hoje foi tão debatida a politica, os politicos, os orçamentos, as responsabilidades, e de repente porque é que um assunto destes passou a interessar a tanta gente, pessoas até que habitualmente tem orgulho em afirmar que não vão votar? Porque esta é uma situação que vai mexer nos bolsos de toda a gente!

E quando vai ao bolso até o mais desprendido dos cidadões, residente em realidades paralelas fica com opinião formada...

Acontece que há muito que a realidade que nos é servida não passam de sombras reflectidas tal como na alegoria da caverna de Platão!

Actualmente todos os grandes movimentos politicos internacionais visam os seguintes objectivos:

Uma identidade internacional
Ao dar poder a organismos internacionais para destruirem completamente toda a identidade nacional mediante subversão apartir de dentro, tenciona-se establecer um conjunto de valores universais, de tal forma que não poderá haver outros no futuro.

Sociedade crescimento zero
Num período pós-industrial, será necessário crescimento zero para destruir quaisquer vestigios de prosperidade. Quando á prosperidade, há progresso. A prosperidade e o progresso impossibilitam a implementação da repressão. E a repressão é necessária quando se espera dividir a sociedade em donos e escravos.

Estado de Desiquilibrio perpetuo
Ao serem orquestradas artificialmente crises que sujeitam as pessoas a dificuldades contínuas- física, mental e emocionalmente-, é possivel mantê-las num estado de desiquilibrio perpétuo. Demasiado cansadas para decidirem o seu próprio destino, as populações ficarão confusas e desmoralizadas, a ponto de confrontadas com demasiadas escolhas, redundarão numa apatia em massa. Actualmente e de acordo com todos os dados estatísticos a abstenção tem ganho em todas as eleições.

Controlo centralizado de toda a educação
Uma das razões para a União Europeia, a União Americana e a futura União Asiática procurarem mais controlo sobre a educação em geral, traduz-se numa esterelização do passado do mundo. Este esforço já está actualmente a dar frutos fantásticos. A juventude de hoje é practicamente ignorante quanto ás lições da história, liberdades individuais e o significado da liberdade. Isto acaba por simplificar drasticamente o programa proposto.

Expansão da NATO
Á medida que a ONU intervem globalmente em mais pontos de conflito, como acontece no Afeganistão e Iraque agora, a NATO torna-se no exército mundial das Nações Unidas.

Um Sistema Júridico
O Tribunal Internacional de Justiça será o único sistema jurídico do mundo.

Um Estado providência socialista
Prevê-se um estado providência socialista, em que os escravos serão recompensados e os inconformistas votados ao exílio.

Infelizmente o nosso País apesar dos 8 séculos de existência não passa de um mero peão em todas estas movimentações.

Até porque Portugal serviu de cobaia para algumas destas experiências globais que foram levadas a cabo, e será dos primeiros a sentir o seu ferrete!

Continua na próxima publicação

1906

Luta & Resiste!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Mais tarde ou mais cedo...


A verdade virá á superfície!

Apresentamos hoje um estudo feito por Margarida Boa Baptista, Doutorada em Ciências do Desporto e Professora Auxiliar da FMH – UTL.

Deixamos apenas como aperitivo as conclusões do estudo sobre a Sporting SAD:

"CONCLUSÕES

A existência de estabilidade financeira tem de se
constituir, definitivamente, como um vector indispensável
para a prossecução dos objectivos ligados à
competitividade desportiva numa organização como
a Sporting, SAD, pelo que, torna-se fundamental
garantir aturadamente o equilíbrio financeiro de
organizações desta natureza.

Os resultados apurados evidenciam o desequilíbrio
financeiro em que a Sporting, SAD viveu ao longo da
primeira década da sua existência, só ultrapassado
nas últimas três épocas, em muito propulsionado
pelas decisões de engenharia financeira tomadas
durante a época de 2004/05. Não podemos deixar de
sublinhar que tais medidas podem acarretar graves
riscos de encobrir a realidade muito negativa dos
resultados correntes da organização, os quais, não
tendo em consideração os proveitos decorrentes das
mais-valias de transferência de jogadores, atingiram
o somatório exorbitante de quase 200 milhões de
euros de prejuízo ao longo dos primeiros dez anos
que analisámos.

Esperamos, com o nosso trabalho, ter estimulado a
atenção do adepto apaixonado para uma das áreas
mais importantes da gestão do desporto, a área
financeira. Desprezar esta área é um erro que pode
trazer, num prazo mais ou menos lato, consequências
irreversíveis para o futuro dos clubes de futebol.

Em futuros trabalhos e na posse de informação contabilística
mais detalhada, é nosso propósito não só
aprofundar a análise iniciada a esta sociedade desportiva,
adoptando metodologias alternativas, como
também, utilizando indicadores análogos, verificar e
comparar o comportamento económico e financeiro
das SAD do Porto e do Benfica."

Ver documento completo aqui:

http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/rpcd/v9n2/v9n2a15.pdf

1906

Luta & Resiste!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Intimidação, coacção, dogmas e verdades absolutas, eis a AG do Sporting Clube de Portugal


A minha prespectiva do que aconteceu nesta AG do Sporting Clube de Portugal:

1.Ambiente de clara intimidação e coacção junto a elementos que publicamente tem uma opinião divergente da Direcção, prepretada por elementos ligados á claque Juventude Leonina, antes do começo dos trabalhos desta AG, á entrada do pavilhão!

2.Dentro do recinto da AG, estiveram presentes não sócios, facto que não é permitido á luz dos estatutos do Clube, desde agentes da Prossegur, seguranças( Os srs. encostados á parede de casaco azul e auricular no ouvido), agentes de polícia fardados, e outros á paisana, spotters, e ainda pessoas que teoricamente seriam sócias, mas de facto não possuem esse estatuto!

3.Ambiente de cumplicidade entre gente com responsabilidades no Clube como são Mário Patricio e Marcelo Rebanda com alguns dos intervenientes nos desacatos, Mário Patrício então chegou mesmo e já cá fora com a cumplicidade dos elementos de segurança e spotters, que mantiveram imobilizado um elemento com opinião contrária, de maneira a que este sr. Mário Patrício melhor o pudesse agredir de forma cobarde e impune!

4.Tudo terá começado quando no ponto fora de ordem de trabalhos a intervenção do Sócio Luis Magalhães Pereira, que explica aqui como tudo aconteceu, foi interrompida com imprompérios por parte do sócio Ricardo Casal Ribeiro, que explica aqui a sua visão dos acontecimentos.

5.Acontece que houve um sócio que estava por perto e ouvindo a maneira desabrida como o consósio Cazal-Ribeiro interrompeu o uso da palavra do consócio Magalhães Pereira, envolveu-se em acesa discussão com o primeiro assistindo-se aí a intervenção de seguranças, policias, elementos de claques e ainda do Director Mário Patricio!

6.Sobre o tema dos incidentes ver a muito oportuna intervenção de Rui Santos sobre o tema no seu programa Tempo Extra:



7.No que decorreu da Assembleia Geral em si, o blogue o Sangue Leonino fez um exelente resumo do que por lá se passou e foi dito, ver aqui.

8.Os temas abordados foram como não podia deixar de ser o passivo e a situação asfixiante de tesouraria ao mesmo tempo que eram lembrados os casos Moutinho e Izmailov, e de uma forma mais abrangente a irregularidade do futebol senior do Clube.
Temas importantes que foram abordados igualmente foi a contagem de espingardas em que foi tornada a corrida ao poder na federação, com o Sporting a constituir-se apenas como um espectador atento.
Foi ainda levantada a questão dos direitos televisivos e a sua negociação.
Questionada ainda que de forma indirecta a politica interna de comunicação, que permitiu alguns desvarios comunicacionais a este elenco directivo, que continua a miar para fora (embora, de forma muito atenta), e a rugir para dentro (a julgar pelo aparato que envolveu esta AG).

9.Totalmente incrivel a maneira como esta AG foi tratada na comunicação social hipervalorizando os tumultos, mas nem uma palavra sobre a presença de não sócios nesta AG.
Numa visão parcial primeiro tentou-se passar a ideia que foi a minoria do costume, depois como os factos não colavam, tudo não tinha passado de uma desavença entre 2 sócios...
Miserável, parcial e proteccionista dos interesses instalados é o minimo que se pode dizer de tudo o que foi visto e lido, chegando ao ponto de na altura em que Menezes Rodrigues todo pimpão se afadiga a dizer que não aconteceu nada, é quando rebenta um petardo! E os jornalistas ninguem se interroga, ninguem acha estranho, ninguem faz perguntas(ver aqui)? Ou isto é tudo normal, e existe apenas uma rapaziada que se excita?


Nós não desistimos!

1906

Luta & Resiste!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

AG 13 de Outubro de 2010



Dia 13 de Outubro de 2010 Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal!

Todos os Sportinguistas que ainda não se resignaram, devem comparecer!

Ainda acerca da AG, a AAS, fez um um pedido ao PMAG, que publicou no seu site e em seguida passamos a reproduzir:

"Caro Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal,
Tomando conhecimento, via jornal "Sporting" da convocatória para a Assembleia Geral do Clube para o dia 13 de Outubro com vista a deliberar sobre o Relatório & Contas do Sporting Clube de Portugal, vimos na qualidade de associados do clube e membros do Conselho Leonino solicitar que seja adicionado à ordem de trabalhos o seguinte ponto:
"2. Estado da Nação e Projecto de Futuro para o Sporting Clube de Portugal"
Desta forma, garante-se a superior organização de temas da Assembleia Geral (uma vez ser previsivel que tal tema seja abordado pelos participantes) e permite-se que o Presidente do Conselho Directivo espelhe, perante os sócios, a sua visão para o clube e a estratégia que prevê implementar.
Solicitamos igualmente a publicação da convocatória no sítio oficial da internet do clube, enquanto veículo de comunicação institucional com os sócios.
Com os melhores cumprimentos, subscrevemo-nos com elevada estima e consideração,

Pedro Faleiro Silva
Nuno Manaia Costa
Luis Silva Pires

Conselheiro Leoninos, em nome da Associação de Adeptos Sportinguistas."


1906

Luta & Resiste

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Pravda segundo JEB



A verdade segundo JEB é só uma, aquela que ele impõe como verdade!

E segundo o Líder do Sporting Clube de Portugal a sua verdade e aquela que ele tenta passar a todo o custo através dos média é que:

É ele quem manda no Clube e na SAD!

Apesar do atraso pontual da equipa de futebol senior o titulo ainda é possivel!

Temos um exelente plantel, unido, coeso e com espirito de equipa!

A temporada foi bem planeada!

O dinheiro disponível foi bem gasto!

Conseguiu unir a família Sportinguista em torno do ideal Sporting!

90% dos Sportinguistas concordam e assinam por baixo com tudo o que faz e diz!

O Sporting é dirigido pela nata da gestão em Portugal, tem tido é azar!

Esta dança das cadeiras que assistimos nos ultimos 15 anos em que um entra para tapar a merda do que o antecedeu, é perfeitamente normal e obra do grande sportinguismo manifestada por todos os envolvidos!

Os sócios não precisam de ser chateados com os problemas que não são deles!

Que não é necessário auditorias externas porque o Clube e as empresas estão bem!

Que os Sportinguistas podem ir para o Marquês porque a sócia nº6 saltou de um avião e isso é equivalente a um título!

Quando este pesadelo acabar, não vão faltar árvores para vos pendurar a todos!


É com enorme orgulho que fazemos parte do Index!

1906

Luta & Resiste!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Porque hoje é o dia!



Todos ás 17h00 na porta do Hall Vip!
Dar as Boas vindas aos accionistas da SAD!

1906

Luta & Resiste!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Falaram em crise?



Na prespectiva de determinada imprensa o Sporting Clube de Portugal ao empatar com o Nacional abriu um novo quadro de crise!

O quê???? Novo???? Esta crise é endémica e já dura há pelo menos 15 anos, que é o tempo em que esta malta bonita e bem penteada, descobriu o Clube e se acantonou de armas e bagagens, parecendo ter feito uma jura de apenas sair quando já não sobrasse nada!

A ideia era boa! Um universo empresarial que alavancasse o crescimento desportivo do próprio Clube, consolidando-o como uma referência em Portugal, na Europa e no mundo!

Como em muitas boas ideias, falhou na implementação, a transição da ideia para a práctica falhou estrondosamente porque para a implementar foram cometidos erros crassos de casting na escolha de quem iria implementar esta boa ideia...a começar por quem teve a ideia!

E começou a desmoronar por completo quando esta corja dirigente verificou que conseguia fazer passar a sua mensagem, garantindo a impunidade: O Sporting está mal o Sporting está de rastos, isto agora é assim ou nós ou o caos!
Epá não se esqueçam do Jorge Gonçalves!

A grande maioria dos sócios votantes foi na patranha que lhes foi vendida através de rádios, jornais e televisões!
Em ultima análise os culpados de tudo isto foram os sócios, os mesmos que foram encostados á parede com 15 anos de mentiras!

E é nisso que esta corja vai apostar as fichas todas! Auditoria? Não é preciso então todas as decisões foram sufragadas em AG!

Não interessa para nada andar a desenterrar esqueletos do armário! Não é assim? Nós apenas executámos a vontade dos sócios!

Claro que sim!

Claro que remunerar a sra Rita Figueira em 127 mil euro num ano, um valor absurdamente elevado tendo em conta o enquadramento salarial dos advogados no contexto nacional, para se fazer 2 contratos...e mal, é a vontade básica e instintiva do sócio comum!

O sócio comum dá consigo a pensar: " Ora bem, vou adiar a compra da Pstation ao puto, e pagar 13??? meses de cotas, para aquele ganda sportinguista, ganda lider bettencourt se poder orientar com o pagamento do ordenado da Rita Figueira! Epá as coisas não estão faceis, e agora já nem é só ordenado da Rita, é tambem o ordenado do nosso ganda presidente, e das largas dezenas que o Mil Homens (outro ganda Sportinguista)tem posto na Academia, ah! e mais todos aqueles acessores e gajos que não servem para nada, mas que valem o peso em ouro nas 150000 empresas que foram criadas para que os lampiões não saibam como é que estamos (nem os próprios sportinguistas, aliás)!"

Face a isto tudo o nosso Sportinguista comum vira-se para o rebento e exclama: " Puto esquece lá isso da Pstation que noutro dia vi um programa na 2, em que dizia que fazia mal aos olhos, fica para o ano!" e de caminho avisa "O nosso ganda presidente está em sarilhos, temos de o ajudar! Não podemos deixar os lampiões a rir!"

O inédito nisto tudo é que foram os primeiros que foram a correr para as urnas votarem JEB, para salvarem o Clube do caos, são agora os primeiros a dizer que JEB está a mais e tem de se demitir?

O quê? Para quando ele se for embora, vir outro da mesma linhagem: " Bem meus amigos, as coisas agora estão mal, mas sem mim vão estar muito pior!!!"

Epá desculpem lá, mas já vi este filme vezes demais, e até já sei como é que acaba!

E ainda ousam falar em crise???


1906

Luta & Resiste!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Comunicado AAS - Em defesa da verdade


Foi publicado no site da AAS, o seguinte comunicado, e que passamos a publicar:


“No início da presente semana, o clube que o Sporting CP irá defrontar na próxima jornada da Liga Portuguesa, convocou uma reunião do plenário dos seus órgãos sociais, na sequência dos maus resultados da sua equipa de futebol, os quais valeram-lhe mais derrotas nestas quatro jornadas disputadas na época 2010/2011 do que na época passada inteira.


Por isso, a Associação de Adeptos Sportinguistas (AAS) compreende bem, atento o calendário que o dito clube tem (em especial o jogo da próxima jornada) qual o verdadeiro intuito por trás de tal reunião e, em especial, do comunicado que dela resultou e, como não tem memória curta, quer apenas realçar o seguinte:

a) O clube que venceu a Taça da Liga na época 2008/2009 graças a um erro crasso do arbitro Lucílio Baptista e cujo director de comunicação, no final desse jogo, teve o desplante de declarar publicamente, ao lado do troféu, que este fora ganho «com todo o mérito», vem, agora dizer, que «não é ilibando, nem protegendo aqueles que reiteradamente erram que se protege o futebol. Há quem veja e queira fazer-se de cego. A esses, essa cegueira tem de custar-lhes caro». Só podemos concluir, pois, que houve milagre em Carnide, tal como há mais de 2000 anos houve em Jericó…

b) O clube que, na época 2009/2010, ficou famoso pelo comportamento dos seus apaniguados nos túneis dos estádios do nosso país (em especial no do seu próprio),diz, agora, que não vai «montar uma estrutura organizada à margem da lei, nem um modelo de violência e intimidação de agentes desportivos ou jornalistas» e que «agirá sempre no estrito cumprimento da lei, não estando disponível para trilhar caminhos sinuosos que outros percorreram sem problemas de consciência e sem reparo ou castigo da justiça». O Bartimeu de Carnide voltou a ver há pouco tempo. É normal que ainda lhe custe enxergar o próprio umbigo…

A AAS só pode lamentar que somente agora o clube em causa clame por um «campeonato sério» e que apregoe que a «falta de credibilidade que está a atingir a arbitragem enfraquece o futebol», depois de, na época passada, ter andado tão convenientemente) mudo e calado sobre este tema.

Este episódio apenas se encarregou de demonstrar, mais uma vez, para quem quer verdadeiramente ver, que o pior do futebol português não são os jogadores, treinadores, nem mesmo os árbitros, mas sim os seus dirigentes.

Apesar disso, a AAS não pode deixar de terminar, contrariamente também ao que consta do comunicado do referido clube, apelando aos adeptos sportinguistas que apoiem o nosso clube em todos os jogos, começando já pelo embate da próxima jornada no qual queremos que o nosso Sporting Clube de Portugal entre em busca da vitória - justa, limpa e honesta, como poucos sabem estar no desporto.


Comité Executivo,
Associação de Adeptos Sportinguistas”


1906

Luta & Resiste!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Na visita a carnide, vamos ser...



...e com mil razões para vencer no coração!!



O próximo derby vai ser disputado sobre intensa pressão, paixão e niveis muito baixos de racionalidade. Esta frase parece aqui um bocado despropositada, pois á primeira vista são estes os ingredientes de qualquer derby que se preze!

Então o que é que está aqui mal? O que é que aqui não faz sentido?

Bem o que está mal, no fundo é criar um clima artificial com a introdução destes supracitados ingredientes, não para espicaçar a própria equipa, ou desmoralizar o adversário, o que seria habitual, mas no sentido de condicionar claramente a seu favor a arbitragem do derby, habitual de alguns anos para cá por parte do benfica!

Ao nível do próprio sector da arbitragem, o autismo que resulta de tê-la a liderar um individuo que durante anos fez gala de subir na hierarquia ajoelhando-se ao poder instutuido a norte, prejudicando significativamente e com dano reiteradamente, durante a sua carreira de árbitro o Clube que dizia ser da sua simpatia, sempre sob o ferrete que tinha de ser isento e imparcial!

Depois deste conjunto de declarações por responsáveis do benfica após o jogo e mais a frio após o plenário dos OSociais do benfica, o que está aqui em jogo e apenas e face á variedade de temas e alvos, apenas um objectivo, condicionar a arbitragem do próximo derby, de forma que em caso de igualdade poder recolher vantagem significativa perante o Sporting Clube de Portugal!

E é apenas isso do que se trata condicionar de forma miserável o prróximo derby a favor do benfica.

O circo á volta já começa a mexer, ouvimos Luis Guilherme da APAF sobre o tema, e quase nem conseguimos acreditar que é o mesmo Luis Guilherme que pediu aplicação de medidas punitivas contra os dirigentes do Sporting após a final da taça Lucílio, como passou a ficar conhecida a taça da liga, após o roubo á vista desarmada perpretrado contra o Sporting e que favoreceu o benfica! Que era de facto o mesmo Luis Guilherme que achou perfeitamente normal a nomeação de Duarte Gomes para o fcporto vs Sporting, após a provocação em Alvalade a membros do nosso quadro técnico!

O que é completamente surreal é o Sporting Clube de Portugal continuar a patrocinar este arraial e a dar o seu aval neste tremendo Hara-kiri!
Não se percebeu, não se percebe como é que esta direcção toma este tipo de decisões completamente contra o sentimento do sócio comum!

O mínimo e no imediato é que haja pelo menos uma reacção dura que previna o espectáculo que já estamos todos a antecipar -a adulteração da verdade desportiva em benefício do benfica!

Face ás mesmas circuntâncias o Sporting e os seus dirigentes foram exemplarmente punidos! Aguardamos, pois a pesada mão justiceira e corporativista do sector da arbitragem, se tiverem coragem para isso obviamente!

Que seja devolvido ao Derby a sua capacidade de ter um resultado imprevisivel, e de que possa ganhar quem jogue melhor e marque mais golos, e não quem chore mais alto e de forma mais estridente!

Num outro registo parabenizamos mais uma vez a AAS pela sua iniciativa pioneira na luta pelos direitos dos adeptos!


Sporting 1906

Luta & Resiste!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

E agora para algo completamente diferente....



Para se fazer ouvir bem alto daqui por 15 dias...


1906

Luta & Resiste!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010


Lido no exelente A Ultima Roulotte e retirado do Ser Sporting

"O ABC da reestruturação
(e as razões pelas quais não faz sentido)

João Mineiro, 25 de Agosto de 2010


Tenho visto na blogosfera leonina, assim como nos jornais desportivos, muita falta de informação (ou desinformação consoante os casos), sobre o que é verdadeiramente o projecto de reestruturação financeira – tal como vem proposto desde o tempo de Filipe Soares Franco. Antes do mais há que esclarecer três pontos:

- Este projecto nada tem de semelhante com o que foi inicialmente negociado em 2005, ao contrário do que deixa entender aqui um blogger anónimo.

- O controlo da SAD não fica assegurado com 51% do capital, uma vez que não estão garantidos 51% dos direitos de voto mas apenas 26,33%.

- A reestruturação financeira não permitirá investimentos avultados no futebol, como adiante se mostra, ao invés do que é dado a entender em asneiras difundidas pela Lusa e publicadas em diversos meios de comunicação.


A operação, tal como estava anteriormente planeada, processar-se-á em 3 passos.

Passo 1 – Operação Harmónio

Uma operação harmónio é uma operação através da qual uma empresa reduz parte do seu capital para cobrir prejuízos acumulados, aumentando-o em seguida através da emissão de novas acções. No fundo, é o assumir da incapacidade de recuperar prejuízos passados, “limpando” os mesmos dos capitais próprios através de uma redução de capital.

Desgraçadamente, esta é a segunda operação do género que a SAD leonina propões aos accionistas em apenas 6 anos. Já em 30 de Junho de 2004 o capital social foi reduzido de 54,9 M.€ para 22 M.€, sendo a diferença de 32,9 M.€ destinada à cobertura de prejuízos acumulados nos exercícios anteriores…

É necessário esclarecer que a operação harmónio agora proposta, com uma redução de capital de 21 M.€ e um novo aumento de capital de 18 M.€, não irá traduzir-se numa entrada de fundos uma vez que o Sporting (Clube) irá participar no aumento de capital através de novo financiamento bancário. Os recursos postos à disposição da SAD serão utilizados para abater dívida bancária no mesmo montante, no âmbito da reestruturação. Trata-se portanto de uma mera operação de recomposição de capitais e absorção de prejuízos.

Passo 2 – Emissão de VMOC (Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis)


Por sua vez a emissão de VMOC (não são mais que obrigações que pagam juro até à conversão em acções) representa, apenas, substituição de dívida – obrigações emitidas para pagamento de dívida bancária. As obrigações permitem uma maior folga na tesouraria da SAD, através da redução anual do reembolso de capital em dívida de 55 milhões de euros, mas quase nenhuma poupança de custos/juros nos próximos anos. Imagine-se, a título de exemplo, que a entrada de fundos substitui dívida bancária com um prazo de reembolso de 20 anos – em média reduz-se o reembolso durante esse período em 2,75 M.€ por ano. Ou seja, 10% do investimento realizado em jogadores nos últimos meses !!! Ver aqui… Outra opção seria investir este dinheiro em jogadores e galopar em direcção a um passivo de 450 M.€, o que é impensável.

Essa folga de tesouraria, tem no entanto um custo brutal para os Sportinguistas. Ao emitir os VMOC, o Sporting perde a maioria do capital da SAD se não entregar os seus últimos activos à sociedade. As contas são as seguintes:

- Sporting detém actualmente 68,60% do capital da SAD de 42 M.€

- Sporting passará a deter 83,09% do capital da SAD após operação harmónio (assumindo que subscreve a totalidade do aumento de capital), do novo capital social de 39 M.€ (41 – 21 + 18)

- Sporting passará a deter 34,47% do capital da SAD após operação harmónio e emissão de VMOC, do novo capital social de 94 M.€ (39 +55)

A forma “encontrada” para garantir 51% do capital da SAD na posse do Sporting é um novo aumento de capital em espécie, ou seja, a entrega de activos à SAD por parte do SCP. O valor desses activos (X) pode facilmente ser calculado resolvendo a seguinte equação:

[(34,47% * 94 M.€) + X] / (94 M.€ + X) = 50,01%

Ou seja, X = 29,2 M.€.

Estima-se portanto que a SAD irá ficar com um capital final de cerca de 123 M.€.

Passo 3 – Integração da Academia e dos direitos de superfície do Estádio

Conhecendo a avaliação feita à Academia de pouco mais de 20 M.€ – cujo relatório nunca foi público – mas que assumia incompreensivelmente que o novo aeroporto em Alcochete não traz valor acrescentado aos terrenos, e uma vez que esse valor não perfaz os 29 M.€ acima calculados, resta ao Clube passar também para a SAD os direitos de superfície do Estádio José Alvalade.

Resultado final da reestruturação proposta


Antes ainda de revermos as consequências um facto: é absolutamente inaceitável que toda esta engenharia financeira nunca tenha sido claramente explicada aos sócios.

- No Congresso Leonino, realizado em Santarém, José Castro Guedes, mentor do projecto, limitou-se a mostrar alguns slides com as contas da reestruturação financeira numa base de caixa, recusando-se a entregar esses mesmos slides aos 50 sócios/delegados presentes, bem como qualquer outro elemento contabilístico do Grupo Sporting, conforme requerido por 8 delegados presentes, representando 200 votos de sócios. Esse requerimento nunca teve resposta, prevalecendo em Santarém a exposição contabilística de “mercearia”;

- A Sporting Comércio e Serviços foi vendida à SAD sem ser conhecido sequer um balanço da sociedade; a avaliação da Academia nunca foi tornada pública; a autorização para a redução de participação na SAD e trespasse da Academia nunca tiveram aprovação em AG;

- As Assembleias Gerais têm sido um desfilar de silêncios, justificados com a necessidade de “não maçar os sócios”, ou por “falta de condições de segurança”;

- Os pedidos de elementos informativos, ao abrigo do art.20º/1/d dos Estatutos, são constantemente ignorados, motivo mais que suficiente para impugnar qualquer Assembleia Geral. Este pedido e consequente recusa, assinada pelos serviços do Clube, são apenas um triste exemplo;

- A informação enviada para as redacções deixa entender que tudo não passa de uma operação para “dotar a SAD da capacidade necessária de investir na sua equipa de futebol“.

Ora sendo o futebol a única actividade capaz de gerar mais-valias regulares que nos levem à redução do passivo, a venda da sua gestão e capital a terceiros tem de ser explicada de forma transparente. Uma opção pela privatização da principal modalidade do Sporting e pela venda de 50% dos activos que lhe restam exige clareza.

Neste cenário final o Sporting e a intervenção dos sócios ficam limitados a:

- Gestão das modalidades;

- 25% das quotizações dos sócios,

- 50,1% de uma SAD que deixa de controlar – onde terá direito a apenas 26,3% dos direitos de voto. Note-se, a título explicativo, que as acções do tipo B estão limitadas a 10% dos direitos de voto e o Sporting apenas detém 16,33% de acções do tipo A, sem limitações de voto, conforme resulta do artigo 13º dos Estatutos da SAD.

É isto que os sócios querem?

Alternativas

Finalmente chegamos à questão final: existe alternativa?

Claro que sim.

Toda a reestruturação montada não vai permitir mais que uma ligeira redução dos encargos de tesouraria, implicando um custo imediato de alguns M.€ em custos bancários na montagem da operação, obrigando a uma perda total de poder por parte dos sócios com e ao esvaziar do Clube dos seus activos.

Por forma a conseguir o mesmo efeito de tesouraria há que renegociar a dívida bancária para prazos mais alargados, ajustando os reembolsos de capital aos anos de venda de jogadores da formação e oferecendo em contrapartida novos colaterais aos credores. Ou reduzir a massa salarial do Grupo Sporting em 200 mil € /mês. Ou criar um Fundo de Investimento para os passes da formação. Ou criar fundos de Fomento Desportivo. Ou vender o “naming” do estádio durante alguns anos, por doloroso que seja. Ou recuperar a dinâmica de merchandising do Clube através da rede de Núcleos do Sporting.

Ou, a hipótese mais valiosa de todas, com um efeito equivalente à reestruturação proposta pela “Geração da Dívida”. Recuperar/angariar 20.000 sócios – a base de todo o programa Ser Sporting.

Não seria essa verdadeiramente a solução de futuro que o Sporting necessita?"

1906

Luta & Resiste!

Sportinguismo não se explica...sente-se!!!


De Franceschi: “Sporting é como uma mulher que se ama”

Jornal o Jogo terça-feira, 24 agosto 2010

“Equipa tem de perder o medo!”
Ivone De Franceschi pode não rimar com campeão, mas é a isso que soa a todo o ouvido leonino. O italiano que deu instrumental contributo ao Sporting na histórica conquista do título de 1999/2000, terminando com a angústia de 18 anos sem o principal ceptro nacional, calcorreou Lisboa em nome da campanha da Gamebox leonina (ver mais informação nesta página), foi homenageado em Alvalade e, no meio da azáfama, ainda deu uma entrevista a O JOGO. O antigo 25 verde e branco não desgostou do que viu do jogo com o Marítimo, mas deixou recomendações próprias de quem sabe o que custa chegar, ver e vencer.

“Eu bem tinha avisado que vinha a Lisboa dar sorte”, começou por brincar o antigo extremo-esquerdo, que vislumbra qualidade numa equipa leonina que precisa, na sua perspectiva, de acreditar mais em si mesma: “Esta ‘squadra’ tem de perder o medo. Assim que se sentir tranquila, vai poder exprimir-se. Vi muitos jogadores jovens e de qualidade, há ali potencial para fazer mais e melhor.”

Num paralelismo interessante, De Franceschi recorda que quando chegou a Alvalade, há onze anos, o panorama não era diferente. “Quando vim para cá, a equipa não estava bem, e os adeptos estavam descrentes. Tive oportunidade de falar sobre isso com o Costinha. Houve uma mudança de treinador, a equipa foi eliminada das provas europeias por uns nórdicos pouco conhecidos [Viking]. Depois unimo-nos, criámos uma onda positiva e uma sequência vitoriosa. O resto é história!”

Sobre o actual esquadrão leonino, De Franceschi tem algumas referências e um desejo: “Joguei com o Valdés no Bari. Atenção, que tem qualidade. Foi pena não falar com ele, pois estava doente. E, claro, há o Liedson, um grande avançado. Não desanimem. Podemos ser campeões!”


“Sporting é como uma mulher que se ama”
O emblema de Alvalade ficou profundamente marcado na vida de De Franceschi. O actual auxiliar técnico do Pádua coloca os leões entre as paixões da sua vida, numa analogia curiosa: “Para mim, o Sporting é como uma mulher que se ama logo à primeira vista. Um homem pode conhecer várias mulheres, mas há sempre ‘aquela’, a especial. Independentemente de ficarmos com ela ou não, lembramo-nos dela para sempre!”

Falando como “tifoso”, o extremo-esquerdo vai mais longe. “Em Itália, costumo dizer que o Sporting é a Juventus de Portugal. É enorme, tem adeptos por toda a parte, uma história tremenda. Digo sem hesitar que o clube não fica atrás de uma Juve ou mesmo de um Inter”, atira. Humilde, ainda hoje o transalpino de 36 anos não consegue explicar a enorme empatia entre si e o público leonino. “Foram só oito meses, mas intensos. Joguei bem, as pessoas aceitaram-me, e conquistei aquele campeonato. Hoje, as pessoas olham para mim e lembram-se disso. Sempre fui discreto, só queria jogar futebol e não parecer mais do que sou. Sinceramente não sei porque recebo tanto afecto, recebi mais do que dei, mas a vida tem estes mistérios. Nem tudo o que é belo se explica.”


“Quero vir cá festejar o título no fim da época”
Ao ceder a imagem para divulgar a nova Gamebox leonina, De Franceschi dividiu-se em filmagens entre Lisboa e Pádua. O ex-leão não esperava o convite e anteontem foi ovacionado em Alvalade, com o filho Tommaso às cavalitas. “Foi uma emoção fortíssima. Quando vim a Lisboa pelo Chievo Verona, em 2004, foi lindo. Os adeptos do Sporting são únicos. Quero vir cá no fim de época celebrar o campeonato com eles, e só o clube lembrar-se de mim para estas filmagens já é uma honra. Na história do Sporting, há muitos jogadores mais importantes que eu, mas é um grande prazer”.
“Só aqui me sinto alguém… ‘speziale’”

De Franceschi terminou a carreira no Pádua depois de lhe ser diagnosticada uma malformação cardíaca, em 2007. Olhando para trás, o canhoto sintetiza a importância do passado leonino: “Adoro recordar o espectacular título de 1999/2000, que terminou naquela festa inacreditável. Só aqui me sinto ‘speziale’. Na Serie A, joguei em equipas pequenas, e o Sporting foi o único grande clube na minha carreira e no qual ganhei o meu único título. Em Itália, era um jogador normal, aqui sou sempre um campeão!”


A “bella squadra” de 1999/2000

Schmeichel – “Só falámos duas vezes [risos]. Ele não falava português nem italiano, eu não falava inglês. Não gostava de treinar, mas era o número um. Quando se concentrava, transformava-se numa fera.”

Beto – “Naquela altura dizia-se que ia para o Inter, para o Real Madrid… Era bravo, bom de cabeça e com os pés. Tinha valor, mas perdi-lhe o rasto quando saiu do Sporting.”

César Prates - “Era um grande jogador, veloz, alegre, bom companheiro, mas ainda hoje acho que tinha potencialidades para fazer muito mais, apesar de, mais tarde, ainda ter jogado em Itália.”

André Cruz – “Enorme jogador. O André era um senhor! Fez uma carreira brilhante, jogou pelo Brasil, Milan e Nápoles. A sua experiência e classe fizeram a diferença no Sporting.”

Rui Jorge – “Teve a sorte de jogar no meu flanco [risos]. Lembro-o mais como pessoa. Era meu vizinho no balneário e ajudou-me tanto. Profissional seríssimo e um jogador inteligente.”

Duscher – “Muito bom! Ainda era jovem, mas destacava-se pela sua excelente visão de jogo e grande execução no passe. Claramente acima da média, foi influente no título.”

Vidigal – “Um gladiador no meio-campo. Com ele, não havia bolas perdidas. Corria por mim, por si, por toda a gente. Era o nosso pulmão e depois fez carreira em Itália.”

Pedro Barbosa – “‘Dio santo’! Era um génio do futebol. Não agradava a todos por ser falso lento, mas tinha um inteligência futebolística invulgar. Para o Pedro, pensar o jogo estava acima de tudo.”

Mpenza – “Rápido, agressivo, era bastante atlético, mas também não falava comigo, porque o francês não era o meu forte. Deu-nos uma boa ajuda ali no flanco direito.”

Acosta – “O Beto era o tal atacante de que todas as equipas campeãs precisam. No momento oportuno marcava. Só tínhamos de lhe colocar a bola. O habitual era dar em golo!”

De Franceschi – “Ah, esse [risos]. Jogador veloz, com bom pé esquerdo, que procurava posicionar-se e assistir os avançados. Voltou a Itália triste por não ficar, mas com o dever cumprido.”

Materazzi – “Não foi feliz, mas fez um trabalho honesto. Agradeço-lhe ter-me proporcionado a melhor fase da minha carreira. Creio que lhe consegui dar alguma razão nas escolhas!”

Inácio – “Estou-lhe grato. Disse-me mal chegou que eu não era filho de ninguém. Era igual aos outros. Tinha perdido o Materazzi, a minha referência, e o Inácio disse-me o que eu precisava de ouvir.”


Sem comentários...

Obrigado De Franceschi!!

1906

Luta & Resiste!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Portugal terra de impunidade e vergonha!


Bem, por este andar ainda nos vão apontar o dedo e dizer que fomos nós a corromper árbitros e a traficar influências!

Tráfico de influência:

Art.º 335 Código Penal (CP)

Comete o crime quem abusar da sua influência junto de uma entidade pública para tentar obter uma decisão a troco de uma vantagem (patrimonial, não patrimonial ou promessa). O tráfico de influência mantém-se quando é utilizada uma interposta pessoa e a vantagem é para terceiro. Punido com pena que vai de multa a 5 anos de prisão.

Hoje colocaram finalmente a cereja em cima deste lindo e belo bolo que se chama apito dourado!

Hoje ficámos com a certeza de que o crime compensa, e de que vale a pena corromper e traficar influências em Portugal! Paraíso de corrupção e de vendidos!

Em caso de problema destroem-se as escutas e acabe-se com o problema, não queremos dar mais dores de cabeça a quem julga!

E como não foi constituida prova apesar de todas evidências trazidas a publico pelas escutas, o Boavista já reclama subida e indemenização!

Quando muito o Boavista poderia reclamar a subida e o pedido de indemenização por ter sido condenado e o fcporto NÃO!

Mas ok! Tudo normal em Queluz ocidental...

Deixamos-vos as pérolas:

" O presidente da Liga, Valentim Loureiro, e o seu filho, o presidente do Boavista João Loureiro, escolheram por diversas vezes os árbitros para os jogos do clube do Bessa na época 2003/04, revela hoje o Diário de Notícias.

O DN, que cita novas escutas telefónicas recolhidas no âmbito do processo "Apito Dourado", adianta que as escutas demonstram que, quer o presidente da Liga de Clubes quer o líder do Boavista, faziam chegar aos árbitros escolhidos a mensagem de uma promoção na carreira a troco de uma "boa" arbitragem.

Um dos jogos que consta das certidões extraídas pelo Ministério Público (MP) de Gondomar é o Boavista-Alverca, que acabou com a vitória dos axadrezados (2-1), que marcaram os golos nos sete minutos de compensação dados pelo árbitro Paulo Pereira, afirma o jornal.

Segundo o diário, "Valentim Loureiro foi quem informou o árbitro da classificação do observador do jogo: oito pontos".

"Já sabe que conta aqui comigo", disse o major ao juiz numa conversa interceptada pela Polícia Judiciária e citado hoje pelo DN.

O jornal diz ainda que em relação ao Boavista-FC Porto (que foi arquivado p or falta de provas que sustentassem uma acusação de corrupção desportiva), Valentim questionou Júlio Mouco, da Comissão de Arbitragem da Liga, por que razão não tinha sido nomeado o auxiliar Devesa Neto.

"Eu tinha acertado com o dr. João Loureiro que seria o Devesa", disse Valentim Loureiro.

No encontro com a equipa do Moreirense, o major não terá gostado da prestação do auxiliar Carlos do Carmo, apesar de o Boavista ter vencido por 1-0.

"Você sabe que ainda neste defeso você estava não sei o quê e eu, aquil o que posso, faço pelos amigos. Bem, da próxima você porta-se melhor, senão puxo-lhe as orelhas", disse Valentim Loureiro ao auxiliar, segundo o DN.

De acordo com o procurador Carlos Teixeira, o modo de actuação de Valentim e João Loureiro passa, além da sugestão de nomes, pelo conhecimento antecipa do dos nomes dos árbitros escolhidos.

"Tal permitia-lhes encetar os contactos com antecedência", diz o diário, dando como exemplo as escutas interceptadas antes do jogo Belenenses-Boavista, arbitrado por Bruno Paixão.

Numa conversa entre João Loureiro e Ezequiel Feijão, ex-árbitro e obser vador da Liga, o presidente do Boavista pede que a equipa de arbitragem seja abo rdada e dá as instruções: "Ele (Bruno Paixão) chegou onde pediu (...), se quer umas viagenzinhas para o ano e tal... temos... temos... de atalhar caminho, pá! Tu pediste... foi-te concedido", revela o jornal.

O DN diz que também antes do jogo Boavista-Beira-Mar, João Loureiro con tactou o observador Pinto Correia para este dar um "toque" ao árbitro Nuno Almedeia.

De acordo com o jornal, a abordagem seria: "Que nós que temos grande consideração..., é malta que o pode fazer chegar onde ele quer... porque ele é ambicioso e tal".

O diário diz ainda que também o Marítimo procurou obter favores dos árbitros.

Numa escuta, António Henriques (ex-dirigente da Federação Portuguesa de Futebol - FPF) garantiu que no jogo com o Nacional, este clube iria ser "bem roubadinho".

No final, o árbitro Martins dos Santos foi escutado a confessar que prejudicou o Nacional: "Queriam lá um penalty, mas eu puni o gajo com amarelo", indica o jornal.

Segundo o diário, foi prometida a Martins dos Santos na subida no escalão da arbitragem do seu filho, André Santos. "Consegue dar-me essa graça que eu responsabilizo-me pela outra", disse Martins dos Santos a António Henriques, da FPF. " In Diário de Notícias

1906

Luta e Resiste!

terça-feira, 13 de julho de 2010

O benfiquismo: uma doença mental...


Damos as boas vindas ao blog Sporting74, publicando um texto da autoria de Bin Laden, e o melhor elogio que podemos fazer é que vai ser apartir de agora, visita obrigatória!


"Os benfiquistas são pessoas como nós, mas padecem do benfiquismo. E o benfiquismo é uma doença do foro mental. E essa é a triste verdade da sua condição!

Os benfiquistas, muitas vezes, são as nossas namoradas, ou nosso irmãos, vizinhos, colegas ou amigos. Não são más pessoas... mas são do Benfica. Levam vidas aparentemente normais até que se tropeça no futebol. Aí deixam de ser quem são e transfiguram-se numa manada ensandecida, acéfala e fanática.

E numa espiral apoplética, algures entre a histeria e a epilepsia, acabam manifestando vários sintomas dos piores defeitos que um ser humano pode exibir: arrogância, demagogia, mentira, dogmatismo, jactância, soberba, venalidade, cobardia, puerilidade... enfim! Deixam de ser os seres humanos que prezamos, admiramos, por vezes amamos, para se tornarem nuns Ogres doentios e desprezáveis para quem 2 balázios nos cornos seriam (se fossêmos pessoas para isso) um gesto de caridade.

Sim! Porque o benfiquista é um alienado mental, uma espécie de drogado incapaz de compreender o mundo em que se movimenta e para quem, as "grandes proezas" do Benfica, funcionam como as doses regulares duma toxina que o mantém distraído, dopado e débil para os desafios que deveria enfrentar na sua vida e em prol da sua comunidade.

Não tenho dúvidas de que serão o clube português com mais adeptos - mas precisamente: veja-se como estão os portugueses! Na mais pura merda, incapazes de dar uma volta às suas vidas e ao seu país... Não por acaso, o Benfica é o clube do regime - e até hoje... de qualquer regime! Lembremos:

"Eusébio é património nacional"
António de Oliveira Salazar

"Creio que seria bom para o país que o Benfica fosse campeão"
José "tirei o curso ao domingo" Sócrates

A evidência mais expressiva do que se afirma, está neste exemplar facto: Quando o regime entra em crise, entram também em cena as "vitórias" do Benfica, porque é preciso "pão e circo" para embalar o povo.

Quando Salazar mergulhou o país numa guerra colonial que fez para distrair os espíritos mais débeis? Patrocinou e favoreceu até à exaustão uma equipa formada, em boa medida, por jogadores das ditas colónias (alguns raptados, como foi o caso do Eusébio) e tentado representar em campo, simbolicamente, o Portugal do Minho ao Timor que teimava em trazer nos cornos. Pois é! A guerra colonial destruía vidas e recursos, mas o Benfica ganhou - nos anos 60 - a hegemonia do futebol português! Futebol, Fado e Fátima... lembram-se?

Mas não recuemos às eras dos Calabotes! Tomemos apenas este dado: na última década e meia, o Benfica foi campeão nacional duas vezes:

1) 2004/2005 - coincidindo com a fuga de Durão Barroso para a UE, a nomeação de Santana "nódoa" Lopes para o cargo de primeiro ministro, a destituição deste e a convocação de novas eleições.

2) 2009/2010 - coincidindo com a grave crise económica e social que o país atravessa, com taxas de desemprego recordes e o empobrecimento geral da população...
Para se ter ideia da crise que ainda por aí vem, refira-se que muito "comentador" já anuncia uma mudança de ciclo no futebol português, augurando uma era de vitórias para o Benfica. Pão e Circo? Pobre povo português ...Pão e Circo!

É por isso que, se o benfiquista é muito mais merecedor de pena do que de ódio pelo seu estado de alienação mental; o clube Benfica, que está permanentemente a ser beneficiado em campo, nos túneis, em cedências de terrenos, na moratória das dívidas, etc., etc.,, etc.; já essa instituição apenas pode ser encarada como aquilo que é: um cancro nojento no seio da sociedade portuguesa, um instrumento de alienação, opressão e exploração do nosso povo.

E é por isso, é mesmo por isso, que eu odeio e desprezo o Benfica...

Mas graças a Deus não nasci Lampião! "

Bin Laden in http://sporting74.blogspot.com

1906

Luta & Resiste!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Aniversário do Sporting - Correio dos leitores


No âmbito do aniversário do 104º Aniversário do Sporting Clube de Portugal, recebemos esta carta do sócio nº6513, que passamos a publicar:


"Não se pode apagar os anos vividos, não se podem empilhar ordenadamente num canto e depois virar as costas deixando-os ali.
Podemos removê-los da mente e esquecê-los, mas não para sempre porque mais cedo ou mais tarde chega o dia em que eles retornam.
E nesse momento damos-nos conta de viver o presente quase como uma mentira.
É esta a coisa mais horrível e simultâneamente mais bela... não nos podemos esconder do nosso passado.
É como uma flecha que faz esquecer as coisas fúteis, vazias e que faz surgir as sensações fortes dos cantos de gáudio e dos gritos de raiva.
Dos abraços e dos encontrões na bancada. Riso e choro que vivemos em épocas diferentes...mas eramos os mesmos e estávamos juntos.

Nos ultimos anos o sonho foi desaparecendo sem darmos conta e tiraram-nos quase tudo. Tiraram-nos o direito de viver a nossa paixão da maneira que aprendemos a vivê-la, com a transmissão das histórias, os exemplos, as recordações e as esperanças de todos. Agora querem tirar-nos a dignidade da intolerância, do protesto, da consciência de tentar cumprir aquilo que pensamos ser o nosso dever. Mas penso que não o conseguirão. Juntos, os que quisermos, teremos o antídoto.

Na noite antes de partir estive no exacto local do velho Alvalade, para sentir aqueles leves murmurios, que durante o dia não se sentem devido ao ruído feito pela cidade à sua volta, para ouvir os fantasmas de um grande Clube que escutados atentamente narravam os acontecimentos que já me tinham sido contados ou mesmo por mim vividos e que todos gostaríamos de continuar a ouvi-los ou a vivê-los. Nenhuma foto, nenhum documento, consegue descrever essas histórias com tanta perfeição nem todas as verdades que queiramos descobrir. Ninguem nos poderá dizer quem ou porquê, melhor que o ar do velho Alvalade...de noite.

Passados todos estes anos, continua a ser Ele o centro, o fulcro, a razão e o motivo. Mesmo demolido, destruído e privado do seu espaço, continua vivo! Sai apenas de noite, para não disturbar, diz ele. Na verdade envergonha-se pelo outro e isso deixa-o nervoso. Por isso pegou-me no coração pelas orelhas e gritou-me para não desistir, para continuar a amar, apoiar e proteger aquela criança vestida de Verde e Branco que, com ranho no nariz e os joelhos esfolados, corre atrás de qualquer bola, aquele rapaz ousado que tem fôlego para tudo e não tem medo de ninguém, aquele homem com os punhos cerrados que luta até cair mas que nunca cai, aquele velhote que abana a cabeça e contesta mas está sempre lá.

Há mais de um século e por mais mil que venham.

Sempre contigo SPORTING!

Faz hoje precisamente um ano que escrevi este texto que acabaram de ler. Como "recompensa" tive o pior ano da história do clube (pelo menos que eu me lembre).
A época acabou e a insatisfação já passou. Já se esqueceram. Já está tudo bem, para a maioria já está tudo bem...mas para mim não e penso que para todos NÓS, que SOMOS de facto SPORTING, não está.
Chegou a hora de MOSTRARMOS quem SOMOS e de nos AFIRMARMOS sem nada a temer.
Vou tentar explicar quem SOMOS.

NASCEMOS e no primeiro vagido MOSTRAMOS de imediato o que SOMOS ao médico que NOS vira para NOS fazer chorar. Funciona como um pontapé nos colhões (do médico como é óbvio) porque a primeira palavra não é mãe, obviamente é “SPORTING” (ou “benficamerda” para os mais precoces) e a partir daí FAZEMOS o contrário de todos os outros, SOFREMOS uma sensação desumana, de tal forma que o sofrimento passa a ser uma sensação normal, ou melhor, METEMOS de parte esse sentimento para que POSSAMOS regozijar-NOS ainda mais naquelas poucas vezes que NOS toca a NÓS disfrutar da glória. No fundo é um retrato da vida da maioria de NÓS, já que TERMOS de NOS levantar todas as manhãs para encarar este mundo de merda não é muito diferente
Ser do carnide ou do porto ou outra merda do género é como procurar o alívio através da droga. Eles são como drogados e NÓS SOMOS os sãos.

Por mais que tente nunca conseguirei compreender como é possível não se ser como NÓS SOMOS.

NÓS SOMOS SPORTING. O SPORTING não é um clube, O SPORTING é uma fé, O SPORTING é um amor, é um matrimónio solene no qual ACEITAMOS a boa e a má sorte, alegrias e sofrimentos. SOMOS o último reduto da liberdade, da coragem e da dignidade. O SPORTING SOMOS NÓS. O SPORTING é um estado de espirito, é o orgulho de COMBATERMOS lado-a-lado, é o sentimento de PERTENCERMOS à minoria. O SPORTING é algo que existe dentro de NÓS e que não sai. O SPORTING é um valor, é sentimento no seu estado mais puro. NÓS IDEALIZÁMOS um clube ao qual QUEREMOS retribuir com sentimento, valor, tornando-o num ideal e num estilo de vida. SOMOS orgulhosos porque RESISTIREMOS sempre, a tudo e a todos.

Nunca NOS VERGAREMOS ao destino, às mortes, aos desastres, às desgraças, aos postes e às traves. As derrotas dentro do campo de jogo, mesmo se humilhantes, nunca NOS arranharão. CAMINHAREMOS sempre em frente, de cabeça erguida, sem NOS ENCONDERMOS. Aos NOSSOS filhos contaremos a NOSSA lenda, a NOSSA história, o NOSSO passado, a NOSSA glória. Essas são as NOSSAS raízes. Um povo sem passado e sem raízes não tem futuro. Por isso a NOSSA lenda deverá ser transmitida para todo o sempre. Mas isso não chega. É fundamental passar para os NOSSOS filhos que “tifare” SPORTING significa ter coragem, coragem de SERMOS diferentes daqueles que, por uma questão de fanfarronice, são adeptos de clubes populares, adeptos das maiorias. É fundamental fazê-los compreender que na vida não é certo ALINHARMOS com as maiorias, porque isso só demonstra debilidade e cobardia. O mais importante é a NOSSA dignidade.

TEMOS dignidade para dar e vender e esta é a única coisa que os poderosos e as maiorias nunca poderão comprar. Aos NOSSOS filhos DEVEMOS narrar aquilo que foi e o que representa o SPORTING e não aquilo que poderá vir a vencer. Óbviamente que sem nunca PERDERMOS a ambição, sem DESDENHARMOS as vitórias...mas TEMOS de ir mais além. As derrotas TORNARAM-NOS fortes, as derrotas não NOS afastaram porque as derrotas não NOS abatem. SOMOS gente que não ALINHAMOS com os poderosos, ODIAMOS as injustiças, os prepotentes, a arrogância e o autoritarismo tanto na vida como no futebol. Os cobardes alinham com o poder enquanto NÓS SOFREMOS humilhações de cabeça erguida, gritando com orgulho a NOSSA diferença e a nossa fé. Sempre orgulhosos de SERMOS SPORTING!

O coração do SPORTING baterá para sempre. SEREMOS NÓS que não DEIXAREMOS que ele páre. Os dirigentes passam, os cúmplices morrem, os jogadores vão e vêm e os cobardes parasitas calam-se e vendem-se aos dirigentes e à polícia, mas alguém de NÓS estará lá sempre pronto para o combate porque é a NÓS que o VELHO ALVALADE pede que as suas memórias sejam transmitidas e que a sua história seja contada. Não são os dirigentes, nem os jogadores e nem os vendidos. SOMOS NÓS os eleitos porque não SOMOS mercenários. SOMOS NÓS que andamos na rua a combater em nome do SPORTING, a gritar o nome do SPORTING, com a altivez e o orgulho por sentir que o SPORTING é NOSSO. O SPORTING é uma entidade NOSSA, é algo que NOS pertence. É um principio, é um ideal, um valor, uma fé, uma força. Algo que DEVEREMOS sempre defender e conservar. É a NOSSA vida ou pelo menos grande parte dela.

Só quem é dos NOSSOS é que sente isto.

Só quem é SPORTING é que entenderá isto.

Há mais de um século e por mais mil que venham!!!

MIGUEL D' ALMADA

sócio do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL nº 6513"


1906

Luta & Resiste!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Direito de resposta AAS


Retirado blog bandeira verde e branca a quem agradecemos a chamada de atenção que foi feita!
Pelo que passamos a publicar o direito de resposta da AAS:

Direito de resposta

Na edição de 25 de Maio de 2010 do Jornal «Sporting», a cara consócia e cronista do nosso jornal, Dra. Maria de Lourdes Borges de Castro, decidiu versar sobre a Associação de Adeptos Sportinguistas (AAS) e sobre os seus elementos, eleitos nas últimas eleições para o Conselho Leonino, numa crónica intitulada “Finalmente os Estatutos”, cujo teor já esperávamos e que está em sintonia com a manifestada recentemente por outros “notáveis” do clube.

A evidente confusão manifestada pela cronista (ou a manifesta tentativa de confundir quem a lê) implica que a AAS e os seus elementos eleitos para o Conselho Leonino se sintam obrigados a prestar os devidos esclarecimentos, ao abrigo do direito de resposta previstos nos artigos 24º e 25º da Lei de Imprensa:


1) Segundo a ilustre cronista (e, ao que parece, a “muita gente idónea”) “é ilegal existir uma associação de adeptos”. A AAS foi constituída nos termos da lei, por escritura pública, a qual se encontra acessível a todos aqueles que visitem o sítio oficial da AAS na internet. Convidamos, por isso, a ilustre consócia (e demais “gente idónea”) a requerer, de acordo também com a lei do nosso país, junto dos tribunais, a dissolução da AAS por ser ilegal. A este propósito questionamos ainda a ilustre consócia se defenderá o mesmo para, p.ex., o «Grupo Stromp»? Ou se saberá a ilustre cronista o número de pessoa colectiva deste grupo? Ou até onde poderemos consultar os seus Estatutos? Importa recordar à ilustre consócia e cronista que, quando se fez sócia há 87 anos, não existiam SADs, nem os clubes eram geridos como empresas. Lamentamos, por isso, que, ao contrário da LPFP e da FPF não tenha estado presente (tal como os demais elementos da direcção do clube) no último Pensar Sporting, onde a Secretária Geral da Associação de Adeptos Europeus (Supporters Direct) pôde elucidar todos sobre esta realidade indesmentível que são as associações de adeptos existentes por essa Europa fora.



2) Causa também grande admiração à ilustre e veneranda consócia que “tenha sido permitido” à AAS “concorrer às eleições, ainda que apenas para o Conselho Leonino. Elegeram três, mas valha-me Deus”. Uma vez que a distinta consócia não está esclarecida quanto ao processo eleitoral (do qual fez parte), devemos informar que quem concorreu às eleições na lista apresentada pela AAS foram associados do Sporting Clube de Portugal, muitos com mais de 20 e 30 anos de filiação e não a Associação de Adeptos Sportinguistas, a qual nem sequer o poderia fazer, perante as regras estatutárias que regem o nosso clube, as quais a ilustre consócia apenas conhece em parte.



3) Deixa ainda a distinta consócia, na sua crónica, uma questão a que entende, ela mesma, responder: “todos os sportinguistas não são adeptos do Sporting? Por isso é que eu chamo de aberração, existir uma associação de adeptos; a única e verdadeira associação de adeptos é o próprio Sporting Clube de Portugal”. Ora aquilo a que a ilustre consócia apoda de “aberração” mais não é do que (mais) uma interpretação errónea da realidade, tal como uma atenta leitura dos estatutos (desde a primeira versão) facilmente o comprova. O Sporting Clube de Portugal é a associação que congrega todos os sportinguistas que entenderam fazerem-se associados do clube. Com efeito, se todos os sportinguistas são adeptos do Sporting, nem todos os adeptos (e sportinguistas) são, infelizmente, associados do clube. Aqui cumpriria, talvez, perguntarmo-nos “porquê?” ou “porque na última renumeração recentemente efectuada tantos associados se foram embora?”. Todavia, trata-se, lamentavelmente, de matéria fora do alcance deste direito de resposta…



4) A terminar a sua magnífica prosa, a respeitável cronista conclui que os membros da associação de adeptos a que entendeu dedicar várias linhas da dita prosa, “são árvores de um pomar que não dá boa fruta. Nesta associação, o que vejo é ânsia de protagonismo, nenhuma ideia válida e muita confusão (…)”. A este propósito lamentamos que a ilustre consócia e conselheira não tenha manifestado tal opinião, pessoalmente, a quatro “árvores” de tal “pomar” que estiveram ao seu lado no último Congresso Leonino na Secção “Desafios do Ecletismo” e que, tal como ela, se comoveram com as palavras do Prof. Moniz Pereira ou, até, no próprio Conselho Leonino do qual fazem parte. Ficámos, todavia, elucidados ao saber que a cara consócia considera que não é necessária nenhuma revisão estatutária no clube, como aquela que a AAS apresentou em Junho de 2009. Aguardaremos, por isso, o seu sentido de voto quando, em breve, a revisão estatutária em curso for apresentada.

Descobrimos, também, que o projecto de desenvolvimento e expansão dos Núcleos não é, no seu entender, interessante, indo contra aquilo que nos foi já manifestado por diversos Núcleos, ou ainda que não se revê no aproveitamento de energias renováveis por parte do Sporting Clube de Portugal - numa iniciativa que visa reduzir custos e aumentar a responsabilidade social do clube.

Não gostaríamos de deixar de terminar sem dizer que concordamos em absoluto com a ilustre Dra. Maria de Lourdes, quando esta diz que há 87 anos, quando o seu pai a fez sócia, “era preciso provar que o pretendente não tinha cadastro e era uma pessoa idónea. Hoje, entra-se automaticamente e, assim, não é possível separar o trigo do joio”.

Com efeito, se ainda hoje fosse assim, teríamos evitado, p.ex., que o nosso clube tivesse que emitir comunicados esclarecendo (supostamente) a intervenção de certos associados do clube na venda do seu património não desportivo. Assim, estimada consócia, é precisamente por os nossos estatutos já não previrem tal disposição, que defendemos a realização de uma auditoria ao Grupo Sporting, para verificarmos quem hoje é, e não devia ser, sócio do Sporting Clube de Portugal. Para, enfim, "separar o trigo do joio"...

Não obstante os termos menos próprios com que nos brindou, mantemos o respeito que sempre tivemos pela sua idade e pela antiguidade de filiação no clube, não nos coibindo, porém, de dizer à ilustre consócia e igualmente a quem (certamente “gente idónea”) lhe fez esta “encomenda” que não nos amedrontam nem nos farão desistir.
A sua crónica, ilustre consócia, acabou, inclusivamente, por nos dar mais força e por se tornar um sinal evidente que estamos no bom caminho para a defesa dos interesses do Sporting Clube de Portugal Continuação de bom trabalho nas suas crónicas.

Saudações Leoninas,

Os Conselheiros Leoninos eleitos pela Associação de Adeptos Sportinguistas em representação dos órgãos sociais da AAS,
Pedro Faleiro Silva
Nuno Manaia Costa
Luis Silva Pires

17 de Maio de 2010

sexta-feira, 21 de maio de 2010

quinta-feira, 29 de abril de 2010

domingo, 25 de abril de 2010

Festejem em cima deste!!!


Tal como o prometido trazemos hoje a sequência da desinfestação no Marquês, mas os Sportinguistas são gente de bem, e não querem que a lampionagem fique sem lugar para os festejos!

Pelo que aconselham o alto do Parque Eduardo VII, onde se ergue a famosa estátua do Cutileiro para a festa!

Obrigado rapaziada! A Nação Sportinguista agradece!

1906

Luta & Resiste!

sábado, 24 de abril de 2010

Uma outra prespectiva da desinfestação...




1906

Luta & Resiste!

Desinfestar depois de usar!


Um grupo de bravos e valorosos Sportinguistas teve a ideia de colocar uma faixa na estátua do Marquês de Pombal com os dizeres: DESINFESTAR DEPOIS DE USAR!

Esta surgiu como resposta á alarvidade lampiã que já anda a pôr os corninhos de fora, primeiro com um reservado no nosso Marquês de Pombal, e depois um reserbado na rotunda da Boavista!

A façanha de ontem cheirou-me a obra dos 300 do costume até porque vinha assinada como Curva Sul!
O terrorismo anda por aí....
Foi o suficiente para ao tentar saber mais pormenores sobre esta fantástica iniciativa, ficar na posse da informação que foi colocada uma 2ª faixa ali bem próximo, prometemos divulgar mal tenhamos a 2ª foto na nossa posse!

Mas podemos já adiantar que se os nosos leitores gostaram desta originalidade no NOSSO Marquês, vão delirar com o resto do trabalho....

1906

Luta & Resiste!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Ainda acerca do Derby e algumas coisas á volta....



Pergunta: Quem é que foi o árbitro do ultimo benfica vs Sporting Clube de Portugal?

Resposta: João Ferreira! Epá mas não tem nada a haver....


Apito Dourado: escutas apanharam Luís Filipe Vieira a escolher árbitros para o Benfica (João Ferreira é o preferido)
08.09.2006

As escutas do processo Apito Dourado revelam que Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, se envolveu directamente na escolha do árbitro do jogo das meias-finais da Taça de Portugal da época de 2003/2004 em que o Benfica ganhou ao Belenenses por 3-1. Esse jogo foi arbitrado por João Ferreira, de Setúbal, na sequência da nomeação acertada num telefonema entre Valentim Loureiro e o presidente dos encarnados. Nessa conversa, Luís Filipe Vieira começa por se queixar pelo facto de o árbitro nomeado para o jogo já não ser Paulo Paraty, conforme havia sido anunciado por Pinto de Sousa, à data presidente do Conselho de Arbitragem da Federação, a um advogado com ligações ao Benfica.


A discussão foi acesa, com Valentim a esforçar-se por apaziguar os ânimos do dirigente e sugerir-lhe nomes de árbitros para substituir Paraty. Vieira, que diz não ter "preferência" por "ninguém", acaba por recusar o nome de quatro internacionais - "não me dá garantias", disse de alguns deles. A solução acabou por ser João Ferreira, o árbitro que amanhã estará no arranque do campeonato para os da Luz, quando defrontarem o Boavista no Bessa (ver texto na página seguinte).

As escutas telefónicas estão apensas ao processo principal do Apito Dourado, mas Cunha Vaz, responsável pelo gabinete de imprensa do Benfica, negou a sua existência. "O sr. Luís Filipe Vieira nunca falou com Valentim Loureiro por causa dos árbitros da Taça. Isso é mentira, até porque quem os nomeava era a Federação. O Benfica nunca escolheu qualquer árbitro", assegurou. Valentim Loureiro, por sua vez, não se disponibilizou para prestar qualquer esclarecimento.

Vieira irritado ao telefone
15 de Março de 2004. Paulo Paraty tinha arbitrado o jogo do Belenenses-Nacional para o campeonato. Por esse motivo, não podia ser indicado para o jogo da Taça, que ocorreria dois dias depois, obrigando Pinto de Sousa, que, à data, liderava o Conselho de Arbitragem, a procurar outra opção. Pinto de Sousa tentaria contactar Vieira para justificar a mudança, mas o dirigente benfiquista deixou de lhe atender o telefone, o que acabaria por levar Valentim Loureiro a envolver-se num jogo que estava fora da alçada da Liga.

"Disseram-me que era o Paulo Paraty o árbitro... Agora dizem-me à última hora, vêm-me dizer que já não pode ser o Paulo Paraty por causa do Belenenses", lamentava-se Vieira a Valentim, enquanto respondia às sugestões dadas por este. "Não quero Lucílio nenhum! (...) O António Costa?! F... Isso é tudo Porto! (...) O Duarte, nada, zero! (...) O Proença também não quero!".

Só o nome de João Ferreira agradou ao presidente do clube da Luz. "O João pode ser", disse, depois de conhecer os candidatos possíveis. A lista era reduzida, porque Pinto de Sousa considerava que o jogo tinha de ser apitado por um árbitro internacional e havia-o dito a Vieira e a Valentim Loureiro.

Nesta conversa com o presidente da Liga, Luís Filipe Vieira estava visivelmente irritado. E confessou a Valentim Loureiro que tinha sido informado de que o árbitro seria Paulo Paraty duas ou três semanas antes. O nome agradava-lhe e a sua substituição foi atribuída a uma manobra do FC Porto, cujo presidente, Pinto da Costa, "controlava tudo", na opinião de Luís Filipe Vieira. No entendimento do dirigente benfiquista, Pinto da Costa decidira até que quem arbitraria o Braga-Porto, também para as meias-finais da Taça, seria Bruno Paixão. "O Bruno Paixão, em Gil Vicente, eu estendi-lhe a mão para o cumprimentar, não me cumprimentou! Como é que esse gajo [Pinto de Sousa] vai nomear esse gajo para apitar?", perguntava Luís Filipe Vieira, não escondendo a indignação e deixando clara a ameaça: "Eu não sou como o Dias da Cunha. (...) Eu vou [à RTP] fazer alguns alertas para o futebol português".

Pinto de Sousa explica-se
Minutos depois, um novo telefonema de Valentim Loureiro a Pinto de Sousa é revelador. O segundo desculpa-se ao presidente da Liga por não ter indicado Paulo Paraty. Este árbitro havia sido sorteado para o jogo da Liga, também com o Belennenses, o que o levou a aceitar a indicação de Vieira e nomear João Ferreira para a Taça.

Ainda na mesma conversa, Pinto de Sousa conta a Valentim que a promessa de que Paulo Paraty seria o escolhido tinha sido feita inicialmente a João Rodrigues (um advogado com ligação ao Benfica), duas ou três semanas antes. Mas assegurou que a nomeação para o campeonato acontecera apenas porque se tinha esquecido de avisar Luís Guilherme, o responsável pela gestão da arbitragem para os jogos da Liga.

Sobre a possibilidade levantada por Luís Filipe Vieira de que o Porto teria escolhido o árbitro para a sua própria meia-final, Pinto de Sousa desmentiu-o. E explicou: "Foi um pedido do Salvador (presidente do Braga). Não indicar nem o Olegário, nem o António Costa".



Partes das escutas telefónicas onde é interveniente Luís Filipe Vieira. Os seus interlocutores são Valentim Loureiro e Pinto de Sousa

Luís Filipe Vieira (LFV) - Eu não quero entrar mais em esquemas nem falar muito... (...)
Valentim Loureiro (VL) - Eu penso que ou o Lucílio... o António Costa, esse Costa não lhe dá... não lhe dá nenhuma garantia?
LFV - A mim?! F.., o António Costa? F... Isso é tudo Porto!
VL - Exacto, pronto! (...) E o Lucílio?
LFV - Não, não me dá garantia nenhuma o Lucílio!
VL - E o Duarte?
LFV - Nada, zero! Ninguém me dá!... Ouça lá, eu, neste momento, é tudo para nos roubar! Ó pá, mas é evidente! Mas isso é demasiado evidente, carago! Ó major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado. (...)
VL - Talvez o Lucílio, pá!
LFV - Não, não quero Lucílio nenhum! (...)
VL - E o Proença?
LFV - O Proença também não quero! Ouça, é tudo para nos f...!
VL - E o João Ferreira?
LFV - O João... Pode vir o João. Agora o que eu queria... (...) Disseram que era o Paulo Paraty o árbitro... O Paulo Paraty! Agora, dizem-me a mim, que não tenho preferência de ninguém (...) à última hora, vêm-me dizer que já não pode ser o Paulo Paraty, por causa do Belenenses.

Pinto de Sousa - A única coisa que eu tinha dito ao João Rodrigues é o seguinte... É pá, há quinze [dias] ou três semanas, ele perguntou-me: "Quem é que você está a pensar para a Taça?"... Eu disse: "Estou a pensar no Paraty"...
VL - Bem, o gajo está f... (...) O Paraty então não consegues, não é?
PS - O Paraty não pode ser. (...) Até para os árbitros restantes, diziam assim: "É pá, que diabo, este gajo tem tantos internacionais e não tem mais nenhum livre, pá?!". (...)
VL - Eu nem dá para falar muito ao telefone, que ele começa para lá a desancar. (...) Mas qual é o gajo que o Porto não quer?! O Porto quere-os todos, pá! Qualquer um lhe serve!
PS - É... Por acaso é verdade...
VL - O Porto quer lá saber disso!
PS - Se é o Lucílio... Se fosse o Lucílio, era o Lucílio, se fosse o António Costa, era o António Costa...
VL - Ao Porto qualquer um serve!


Fonte: http://dossiers.publico.pt/noticia.aspx?idCanal=1296&id=1269576



Os lugares na Liga...

Em 2003, a propósito da contratação de Jankauskas pelo FC Porto, Luís Filipe Vieira afirmou que não estava preocupado, porque "são mais importantes os lugares na Liga do que contratar bons jogadores".
O tempo veio provar que o presidente do SLB sabia perfeitamente o que estava a dizer. De facto, tal como Cunha Leal foi um importantíssimo player enquanto esteve na Liga (quem não se lembra do Estorilgate?), o filho do benfiquista de Canelas (*) não lhe fica atrás e, depois do apito final, a forma como geriu os casos dos túneis fazem dele um forte candidato a águia de ouro (será uma distinção mais do que justa, pelos bons serviços prestados...).

Entretanto, a FC Porto – Futebol, SAD já reagiu num comunicado publicado no site oficial.

(*) O pai de Ricardo Costa era conhecido pela sua fortíssima ligação afectiva ao SLB, a qual é partilhada pelo filho.

Fonte: http://futebolar.portugalmail.pt/artigo/20100220/os-lugares-na-liga



Cunha Leal - A "criada de servir" do Benfica

No dia 13/05/2008, mal se esgotou o prazo da FCP SAD recorrer decisão da Comissão Disciplinar da Liga, que puniu o clube por suposta tentativa de corrupção, o jornal A BOLA fez a seguinte primeira página:

Rapidamente se percebeu que quem estava por trás desta notícia e da estratégia subjacente era o SLB e, particularmente, um seu ex-dirigente e ex-director executivo da Liga de Clubes – o Dr. Cunha Leal.

«O FC Porto, condenado na perda de seis pontos na presente época, por decisão da Comissão Disciplinar da Liga, por tentativa de corrupção no âmbito do processo Apito Final, decidiu não recorrer da sanção aplicada, tendo o prazo de recurso terminado ontem. Assim, perante o trânsito em julgado da sentença da Liga, os dragões, diz Cunha Leal, «podem caber na alínea D do ponto 1.04 do Regulamento da Liga dos Campeões».
in A Bola, 14/05/2008

Comentando esta estratégia benfiquista, Rui Santos escreveu o seguinte, no Record, em 16/05/2008:

«Acredito que o achamento de Cunha Leal foi o atalho encontrado para condicionar os excessos de Valentim Loureiro. Mas, nesta pretensa “nova era”, não faz sentido um jurista (seja ele qual for) pôr o seu “fundamentalismo clubístico” como instrumento manipulador de massas acríticas.

As cunhas desleais não honram o futebol nem os lugares, quando se percebe que o objectivo é prejudicar o FC Porto, para além daquilo que a instituição merece (?) ser prejudicada, a título de uma responsabilidade individual que se transforma em desonra para a colectividade.»


Reagindo a este comentário, Francisco Cunha Leal Carmo solicitou ao Record a publicação de um direito de resposta onde, entre outras coisas, disse o seguinte:


«Porque me chamaram a atenção para o facto de o escriba invocar o meu nome, submeti-me, a contra gosto, ao sacrifício de ler os dislates de tal senhor. (...)
Sou, efectivamente, culpado de ter ousado expressar a minha opinião técnico-jurídica sobre as possíveis graves implicações para o FCP consequentes da aplicação, pela UEFA, do Regulamento da Liga dos Campeões, isto após a condenação do FCP SAD, em acórdão já transitado da Comissão Disciplinar da Liga de Clubes, por ilícito de corrupção na forma tentada. Uma opinião que, sublinhe-se, é acompanhada por vários ilustres juristas, todos certamente a soldo de forças demoníacas.»


Neste ping-pong, a resposta de Rui Santos foi ainda mais demolidora, tendo aproveitado para recordar factos que são de todos conhecidos, mas dos quais, normalmente, a comunicação social lisboeta evita falar.

«Cunhal Leal está indignado. Tem toda a razão para estar. Ele foi mandado para a Liga pelo presidente do Benfica para contrariar o poder do major. Convenhamos que é um grande azar, sobretudo quando quem o mandou para a Liga confessou, perante a estupefacção geral, que seria porventura mais importante ter alguém naquele organismo do que contratar bons jogadores.

O estigma não fui eu quem lho pus. Aceitou-o, porque sabe muito bem ao que foi e não se pode confessar enganado. Se não soubesse ao que ia e se cumprisse o seu dever de isenção, não teria autorizado a farsa que constituiu a marcação do Estoril-Benfica para o Algarve, na jornada 30 do campeonato de 2004-05, cujo desfecho foi decisivo para a atribuição do título nessa temporada.

A sua credibilidade morreu nesse momento. Quem consente um escândalo dessa natureza (embrulhado noutros escândalos da época), quem se cala perante uma situação potencialmente subversiva, inquinando a verdade desportiva, não tem um pingo de moral para vir falar agora, como especialista de coisa nenhuma, a não ser o de defender interesses de um só clube e de uma só cor, de qualquer tipo de regulamentos, numa clara manobra de visar o FC Porto.

As “criadas de servir” dos clubes são, também, na Liga ou na FPF, grandes responsáveis para o estado lamentável a que o futebol chegou. Em causa está apenas a “clubitização da justiça” – e percebo o incómodo que a temática causa para quem aplica os regulamentos apenas em certas condições de pressão e temperatura.

Outro grande azar foi Luís Filipe Vieira ter afirmado – já depois de Leal ter cumprido a missão para a qual tinha sido incumbido – que o Benfica porventura não deveria ter conquistado aquele título de campeão nacional. Realmente, é demasiado azar para quem tanto se esforçou para justificar o “investimento” num director e não em jogadores.


Azar e... falta de nível! É o mais vulgar quando não se tem poder de argumentação.

PS – O extraordinário desempenho como figurante no filme ‘Corrupção’ diz tudo sobre a pobre figura.»
Rui Santos, Record, 21/05/2008


De facto, é chato ouvir ou ler estas coisas e mais chato ainda quando elas são publicadas num jornal como o Record e escritas por um jornalista que é insuspeito de ter qualquer tipo de simpatia pelo FC Porto ou por Pinto da Costa (bem pelo contrário).

Fonte: http://reflexaoportista.blogspot.com/2008/06/criada-de-servir-do-benfica.html



Soares Franco e o Estorilgate

Ontem, na "Grande entrevista" da RTP 1, conduzida por Judite de Sousa, o presidente do Sporting afirmou o seguinte:
"No passado não existiu só Apito Dourado, mas também tráfico de influências douradas. Um exemplo é o jogo que o Benfica jogou com o Estoril no Algarve. Embora pudesse ter cumprido toda a legalidade só foi possível no Algarve porque o presidente do Estoril era do Benfica e o director desportivo da SAD tinha interesses no clube".

De facto, é sabido que o Estorilgate foi um dos maiores escândalos de sempre do futebol português, envolvendo como actores principais da farsa: José Veiga, a Direcção do Estoril, a Direcção do Benfica e Cunha Leal (na altura Director-executivo da Liga).
Aliás, a propósito dos relevantes serviços prestados por este último, Rui Santos chegou ao ponto de o acusar/apelidar de ser um "cunha desleal" e uma "criada de servir" do SLB:
"Ele [Cunha Leal] foi mandado para a Liga pelo presidente do Benfica para contrariar o poder do major. Convenhamos que é um grande azar, sobretudo quando quem o mandou para a Liga confessou, perante a estupefacção geral, que seria porventura mais importante ter alguém naquele organismo do que contratar bons jogadores.


O estigma não fui eu quem lho pus. Aceitou-o, porque sabe muito bem ao que foi e não se pode confessar enganado. Se não soubesse ao que ia e se cumprisse o seu dever de isenção, não teria autorizado a farsa que constituiu a marcação do Estoril-Benfica para o Algarve, na jornada 30 do campeonato de 2004-05, cujo desfecho foi decisivo para a atribuição do título nessa temporada.
A sua credibilidade morreu nesse momento. Quem consente um escândalo dessa natureza (embrulhado noutros escândalos da época), quem se cala perante uma situação potencialmente subversiva, inquinando a verdade desportiva, não tem um pingo de moral para vir falar agora, como especialista de coisa nenhuma".

Por outro lado (onde é que eu já ouvi esta expressão?), as ligações de José Veiga ao Estoril, na altura em que simultaneamente era director-desportivo do SLB, não oferecem quaisquer dúvidas:
«O antigo empresário de futebol e director-desportivo do Benfica, José Veiga, foi multado pela Comissão do Mercados e Valores Mobiliários em 30 mil euros, devido ao facto de não ter comunicado ao mercado a posição que detinha da SAD do Estoril.»
in Jornal de Negócios, 19/03/2008


O Estorilgate ainda teve outros contornos pouco claros, envolvendo pressões sobre jogadores do Estoril (que foram denunciadas pelos treinadores dos canarinhos) e a nomeação de um "árbitro amigo" (Hélio Santos) em final de carreira.

Por tudo isto, não surpreende que Filipe Soares Franco tenha referido o Estoril-Benfica da época 2004/05 como exemplo paradigmático do tráfico de influências no futebol português.

O que eu achei interessante foi a forma inteligente e eficaz como a comunicação social de hoje (com a honrosa excepção do JN) ignorou estas declarações do presidente do Sporting.
Pois, não convém mexer no "lixo encarnado", não vá a procuradora-especial sentir-se pressionada e ser obrigada a investigar o caso...

Fonte: http://reflexaoportista.blogspot.com/2009/01/soares-franco-e-o-estorilgate.html


Os "métodos de treino" de Jorge Jesus

«Domingos não foi de meias-palavras na primeira declaração pública desde que começou o trabalho de campo em Braga. Satisfeito com o rendimento dos jogadores no primeiro teste da época, contra o Freamunde, o treinador não deixou de salientar o cansaço que muitos exibiram e as limitações que sente por ter três jogadores lesionados sem terem realizado um único treino (Matheus, Jorginho e Moisés), aos quais se juntam os intermitentes Leone e Frechaut, que só puderam jogar 28 e 17 minutos, respectivamente.
"É pena que haja cinco jogadores com pubalgias. Não me lembro de um clube com tantos casos destes. Isso limita o trabalho. Os jogadores vão tardar a aparecer", lamentou, recusando imputar responsabilidade ao departamento médico. "Não estou a colocar em causa o departamento médico, mas são muitos casos e gostaria de ter todos os jogadores aptos, até pelo tempo que tiveram de férias, disponíveis."
Mas afinal, de quem é a responsabilidade? "Não me perguntem. Mas não é normal. Desde 1986 que não ouvia falar de pubalgias..." - ironizou, sem nunca referir os métodos de Jorge Jesus como responsáveis por tantas lesões.
Recorde-se que, no ano passado, o Braga terminou a época com apenas 12 profissionais disponíveis para jogar.»
in O JOGO, 10/07/2009

Este artigo publicado em O JOGO deixa muitas mensagens subliminares nas entrelinhas e dá azo a várias interpretações. No meu caso, as queixas do Domingos e as referências aos "métodos de treino" de Jorge Jesus fizeram-me recuar às cinco épocas em que Jorge Jesus treinou o FC Felgueiras - 1993/94 a 1997/98 -, quando este clube subiu da 2ª Divisão B até à primeira liga do futebol português e, se bem me recordo, período em que houve suspeitas e uma investigação sobre alegados problemas de doping.

Gosto pouco do estilo octaviano "vocês sabem do que eu estou a falar" e, por isso, seria importante que algum jornalista tivesse coragem, investigasse e tentasse descodificar o real alcance das declarações de Domingos. In-refexaoportista

Fonte: http://futebolar.portugalmail.pt/artigo/20090712/os-metodos-de-treino-de-jorge-jesus


Lopes da Silva: «Prejudiquei a carreira porque acreditei nele»
TÉCNICO DO BRAGANÇA E O DOPING COM JORGE JESUS EM 1995
“Estou arrependido de ter ficado calado”, foi assim que Lopes da Silva começou por abrir o jogo sobre o caso de doping que, em 1994/95, o afastou dos relvados por 6 meses. O agora treinador do Bragança jogava no Felgueiras, orientado por Jorge Jesus, seu adversário de hoje.

Na hora de recordar os factos, a mágoa não foi escondida. “Prejudiquei a minha carreira por ter acreditado em Jorge Jesus e nos outros responsáveis do Felgueiras. Arranjaram-me um advogado, mas ele queria defender o clube e não a mim”, começou por desabafar Lopes da Silva, prosseguindo: “No intervalo de um jogo com o P. Ferreira deram-nos algo para tomar como sendo vitaminas. Os atletas confiaram! O Jorge Jesus tinha conhecimento do que aquilo era. Fui ao controlo e acusei positivo.”

Fonte: http://www.record.xl.pt/noticia.aspx?id=737040&idCanal=5